domingo, 11 de maio de 2014

A história mais triste que contei

Não se já contei de onde veio a ideia pro nome do blog. Foi de uma viagem que fiz com meus amigos, quando todos éramos jovens, despreocupados e cheios de esperança. Estávamos em uma feijoada com samba, e depois de uma música romântica, o cantor, um negro alto e muito atraente,  disse exatamente isso: "falar de amor é fácil, difícil é pagar as contas". Nunca mais saiu da minha cabeça. Assim como quando o professor de literatura do 3° ano, disse, com os braços apoiados na lousa: "daí o cara está apaixonado e diz que vai casar, e você pergunta do que ele vai viver, e ele responde: 'de amor'".

Eu não lembro mais o motivo que me levou a escrever esse blog. Talvez um pouco de inveja de casais apaixonados e um pouco de desdém também. Talvez eu o tenha criado para falar mal dos caras que me rejeitaram e para escrever as declarações que nunca chegaram aos ouvidos de quem gostaria. Quer dizer, algumas até chegaram, mas não tiveram os efeitos desejados.

Foi muita pretensão minha querer falar sobre um assunto sobre o qual não tenho nenhum domínio. Nenhum mesmo. Eu não estou habilitada a dar conselhos amorosos de qualquer espécie. E vocês não  deviam levar em consideração nada do que foi escrito aqui. Nem mesmo se é um dos caras para quem escrevi (você tinha dúvidas que era sobre você?), possivelmente fui injusta. E fui dura, mais ainda comigo.

A verdade é que escrever nesse blog tem sido tão difícil quanto pagar as contas -e olha, que está complicado, viu. A verdade é que eu já não tenho mais histórias para contar, que elas ficaram velhas, assim como eu. A verdade é que não há ninguém sobre quem eu queira contar. A verdade é que por mais que tenha visto tantas lindas histórias de amor... Algumas pessoas amam, sem ser amáveis ou amadas.

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir